segunda-feira, 8 de dezembro de 2014

Thank you...

Obrigada por me dar parte de um sonho.
Por um momento
Numa ilusão

Eu fui feliz!

Repulsa


Maldita a força que me empurrou ao seu encontro
Imperdoável o momento em que suas mãos me tocaram
Minha boca ainda sente o gosto da ferrugem do teu sangue
Lembrança repulsiva
Fétida e intragável
Um segundo de prazer

Mil anos de dor.

Desejo


Seus olhos me atraíram
Quando inocente te vi
Através de mil portas
Todas fechadas diante de mim

Sob o toque macio das tuas mãos
Meu corpo exala a perfeita melodia
Prazer ressonante, mundo flutuante
de ilusão e prazer.

me


2007.01.01

A estrada se descontorce diante dos meus olhos como se fosse uma lagarta.
Hoje sei ser mais feliz...
A idade nos traz experiências. Hoje a comida tem mais sabor, o mundo é mais belo, a brisa é mais gostosa. Hoje o mar está mais azul e os montes mais verdejantes. Hoje percebo as névoas brancas que envolvem o pico das montanhas. Fascinante!
Hoje vi um novo céu. Um céu que existe por traz das brancas nuvens. Hoje faz quase um ano que não tenho qualquer tipo de contato íntimo com alguém, nem comigo mesma, mas de repente comecei a pensar e vi que isto era bom.
....

Andei pensando e descobri algumas verdades sobre a vida:
·        Todo mundo tem um segredo.
·        Ninguém nunca está contente.
·        Os tolos sempre vão existir.
·        Os mansos são mais felizes.
·        Os imperfeitos são os mais invejados.
·        Cada um tem uma fraqueza.
·        Quanto mais perfeita a capa, mais sujeira há por dentro.
·        Se a pessoa não tem aquele “ciuminho” não é porque é controlada, é porque não ama.
·        Quanto menos amor você dá, mais você tem.
·        Eu sou uma ilha.
·        Sou tão frágil.

....

Continuo falando demais e quase sempre o que não deve ser dito. Sou muito contraditória, e é claro que as pessoas acham que só quero chamar atenção, ou será que não? Nem eu sei por que faço certas coisas.
Não gosto que as pessoas me dêem ordens...
Nem que me tratem mal!
Elas têm que me aguentar, assim como eu as agüento.
Estou com saudades de casa.
Hoje me lembrei de algo que já sabia: Ninguém gosta de sinceridade.
Será que eu sei o que eu quero?
....

Não sei de onde vem tanta raiva dentro de mim...

....

sábado, 6 de dezembro de 2014

2012.05.23

Enquanto ele se arrumava para o jogo de futebol, fiquei a observá-lo o com um olhar distante. Seus movimentos rápidos, precisos, pesados e firmes ao colocar o meião fizeram lembrar, vagamente de algumas imagens da minha infância em que via meu pai lavando os braços e as pernas após o trabalho no sítio. Suas pernas fortes, coberta por pelos de modo que estes não chegavam a obscurecer a brancura de sua pele. Ele passava bastante sabão nos braços e pernas, lembro-me de ver aquela espuma ser formando e logo em seguida via a água escorrer levando a espuma e a sujeira para baixo, deixando os pelos escorridos.
Lembro também quando ele acabava de tomar banho sentava no sofá para tomar um chimarrão ou conversar. Lembro-me do cheiro do sabonete que ele usava. Gostava quando ele me pegava no colo e eu sentia sua pele fresca do banho frio e o cheirinho de sabonete phebo.
Ao lembrar isso agora vejo que não me lembro de quase nada e o pouco que lembro, lembro-me de maneira imprecisa.
Tem uma flor do mato que também me faz recordá-lo. O cheiro dessa flor selvagem me lembra de quando andava a cavalo com ele na mata. Eu andava na frente quando era pequenina. Como eu amava meu pai.
Quando já estava grandinha e ele brigava comigo, eu chorava muito e desesperadamente. Então ele dizia: ‘Nossa, quanto sentimento! Ele no seu conhecimento empírico percebeu desde cedo meu temperamento passional e exagerado.
Mais tarde, numa determinada situação da minha vida em que chorei demasiado, uma amiga me falou: ‘Nunca vi alguém chorar tanto, por tanto tempo e com tanta intensidade’
Foi a última vez que chorei.



2012.05.21

21.05.2012

Hoje retomando minhas lições de francês, encontrei um papel amarelado onde continham letras impressas com a canção Je t’aime encore da Celine Dion. Tomei o papel e coloquei a canção para apreciá-la.
É incrível como quando escutamos uma canção que nos toca, que é realmente linda, como ela nos remete a outras vivências. Começamos a sentir toda a força do amor que outrora fomos capazes de sentir.

As vibrações da voz do cantor provocam algo físico dentro de nós. Sentimos uma emoção, uma euforia, revivemos uma vida, uma determinada época em que ouvíamos tal canção e sentimos novamente tudo aquilo mesmo que não exista mais.